Como fazer gestão de pessoas descentralizada

A gestão descentralizada de pessoas consiste em distribuir a responsabilidade pela gestão de pessoas por diferentes áreas da empresa.

Esse modelo de gestão permite que líderes de área absorvam tarefas tradicionalmente atribuídas ao RH, como a gestão de ponto e a comunicação relacionada a desligamentos, por exemplo.

Desta forma, o volume de trabalho burocrático do RH diminui, e sobra tempo para cuidar de questões mais estratégicas, relacionadas ao desenvolvimento dos colaboradores e manutenção da cultura da organização.

As vantagens da gestão descentralizada de pessoas são muitas. Entre elas estão:

  • Diminuição da emissão de holerites de correção: como os gestores de área estão mais próximos do dia a dia dos colaboradores, conseguem gerir com mais eficácia os horários de trabalho, assim como a necessidade de horas extras.
  • Aproximação entre líderes e liderados: a gestão de pessoas, além de prever tarefas como tratamento de ponto, também envolve conhecer a fundo as expectativas e necessidades de cada colaborador. Quando o líder de área toma para si essa responsabilidade, o relacionamento com a equipe tende a melhorar.
  • Desenvolvimento de RH mais estratégico: com menos tarefas burocráticas, o RH assume uma postura mais estratégica, pensando em políticas capazes de contratar e desenvolver os colaboradores de acordo com os objetivos e cultura da organização.

Agora que você já conhece as vantagens da gestão descentralizada de pessoas, deve estar se perguntando como ela pode ser implementada em sua organização. E pra te ajudar nessa implementação, reunimos algumas dicas fundamentais.

Gestores trocando informações

Dica 1-  A comunicação efetiva é ponto-chave para a descentralização

Descentralizar a gestão de pessoas implica em compartilhar ou delegar as tomadas de decisão, que deverão envolver a visão estratégica do RH, e as informações do cotidiano dos times. Dessa forma, uma boa comunicação é fundamental.

Os gestores de área devem estar em contato direto com os profissionais de RH para compartilhar as decisões internas do time,  assim como as necessidades e expectativas de seus integrantes.

Os profissionais de RH, por sua vez, devem alinhar com gestores de área o posicionamento da organização em relação às políticas de gestão de pessoas e manutenção da cultura organizacional.

Dica 2 – Criar espaços para a capacitação de líderes é o primeiro passo para a descentralização da gestão de pessoas

A capacitação dos líderes de área para lidar com as tarefas relacionadas à gestão de  pessoas é fundamental para o sucesso da descentralização.

Tal capacitação, além de discutir o desenvolvimento e motivação dos colaboradores para que atinjam os objetivos organizacionais, deve levar em conta questões mais práticas, como o treinamento para a utilização ferramentas para gestão de ponto, por exemplo.

Dica 3 – Líderes e liderados devem se sentir responsáveis pela gestão de pessoas na empresa

Gestor e equipe unidosPara que a descentralização seja bem sucedida, é necessário que todos os colaboradores sintam-se responsáveis pela gestão de pessoas, cada um em sua medida.

Os líderes de área são responsáveis por acompanhar o desenvolvimento de cada colaborador, assim como os resultados de seu trabalho e as horas gastas em cada projeto.  

Além disso, cada um dos colaboradores deve detalhar com prontidão sua jornada de trabalho, assim como deixar claro os seus objetivos, suas necessidades profissionais e realizar críticas construtivas que aprimorem a gestão de pessoas na organização.

Dica 4 – O acompanhamento de  indicadores por parte do RH é fundamental

Responsabilizar os líderes de área pelo acompanhamento da jornada de trabalho de seus liderados não significa deixar de analisar esses dados.

Enquanto o gestor de área é a pessoa mais indicada por gerar essas informações, por acompanharem de perto a operação, as análises ainda são uma tarefa essencial do RH.

Os profissionais de RH devem resgatar as informações geradas por todos os times, e então criar indicadores relacionados ao absenteísmo, acúmulo de banco de horas e média de custos com horas extras.

Esses indicadores ajudarão a orientar as políticas de gestão de pessoas na empresa, assim como as ações de treinamento e capacitação necessárias para tornar a operação mais eficiente.

Dica 5 – As ferramentas certas não só auxiliam, como possibilitam e viabilizam a  gestão descentralizada de pessoas

Empresário utilizando aplicativos para aplicar a gestão descentralizada e acompanhar a equipeA descentralização do RH permite que os profissionais de RH não fiquem sobrecarregados com determinadas tarefas, como a gestão do banco de horas. No entanto, para que essas tarefas sejam absorvidas com tranquilidade pelos líderes de área, e a informação seja compartilhada com o RH, são necessárias ferramentas que viabilizem esse processo.

Conclusão

Ao longo desse texto trouxemos algumas dicas para te ajudar a implementar uma gestão de pessoas descentralizada em sua organização.

Mas lembre-se: essa implementação será um processo, que caminha lado a lado com uma mudança cultural.

É preciso que todas as áreas da empresa compreendam o real papel do RH, que está na disseminação e manutenção da cultura da empresa, no cuidado com o clima organizacional e no desenvolvimento profissional de cada colaborador.

Os profissionais de RH, por sua vez, precisam abrir mão de algumas tarefas de controle, e delegar tarefas que antes faziam parte de sua rotina.

Mudanças culturais e de processos demandam tempo e ajustes, são implementadas através de erros e acertos em constante avaliação. Mas o resultado é sempre recompensador. E você, está pronto para começar essa jornada?